A República Checa recebeu a derradeira Taça do Mundo de Slalom, antes do Mundial marcado para La Seu d’Urgell, em Espanha, entre os dias 24 e 29 de setembro, que vai ditar o apuramento para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Em Praga, a Seleção Nacional esteve representada por José Carvalho, Antoine Launay, Ivan Silva e Frederico Alvarenga.

Antoine Launay foi o canoísta luso que conseguiu ir mais longe na Taça do Mundo de Slalom V. Em Praga, na primeira manga eliminatória, Launay alcançou o apuramento direto para a semifinal da prova de K1, com o registo de 94.02 segundos e o 20.º lugar, numa manga ganha pelo eslovaco Jakub Grigar, com o tempo de 89.13 segundos.

Na manga inicial de K1 da Taça do Mundo de Praga, Ivan Silva (102.28 segundos) e Frederico Alvarenga (162.94 segundos) ficaram longe dos lugares de apuramento. Na segunda manga eliminatória, ganha pelo australiano Daniel Watkins (91.26 segundos), tanto Frederico Alvarenga (103.67 segundos), como Ivan Silva (153.76 segundos) terminaram fora dos lugares de passagem à semifinal.

Apenas 10 canoístas asseguravam a presença na final de K1 da Taça do Mundo de Slalom V. Antoine Launay entrou determinado em conquistar um lugar que garantisse o acesso à luta pelas medalhas. Na semifinal, ganha pelo italiano Giovanni De Gennaro (92.01 segundos), o canoísta luso terminou na 14.ª posição, com o registo de 96.91 segundos a apenas 59 centésimos de segundo da final, que teve o checo Jirí Prskavec (90.67 segundos) como vencedor.

Portugal também esteve representado, em Praga, por José Carvalho na prova de C1. Na primeira manga, ganha pelo britânico Ryan Westley (95.45 segundos), o canoísta luso realizou o tempo de 166.85 segundos. No que diz respeito à segunda manga eliminatória, que teve o italiano Stefano Cipressi (100.63 segundos) como vencedor, José Carvalho terminou com o registo de 110.33 segundos. De referir que, na prova de C1, o eslovaco Matej Benus, com 100.26 segundos, venceu a Taça do Mundo de Slalom V.