O Águas Bravas Clube foi o emblema mais pontuado no Campeonato Nacional de Slalom, com 224 pontos, tendo, desta forma, revalidado o título obtido na edição de 2019, realizada no Rio Vizela. Em termos coletivos, o pódio contou, ainda, com a Associação Desportiva de Amarante, 2.ª classificada, com 178 pontos, e do Darque Kayak Clube, 3.º lugar, com 130 pontos.

Na competição disputada, em 2020, na Pista do Penedo do Açúcar, a classificação por equipas incluiu, também, o Aventura Marão Clube (4.ª posição/106pontos), o Clube Náutico Barquinhense (5.º lugar/24 pontos) e o Douro Canoa Clube (6.º classificado/0 pontos).

Em representação do Darque Kayak Clube, Antoine Launay, que assegurou a vaga para Portugal nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, entretanto adiados para 2021, devido à pandemia de Covid-19, sagrou-se campeão nacional em K1 Sénior, prova em que Ivan Silva (Águas Bravas Clube) garantiu o título de vice-campeão, enquanto Frederico Alvarenga (Aventura Marão Clube) subiu ao 3.º lugar do pódio.

Na competição de K1 Sénior Feminino, os atletas de Amarante dominaram o Campeonato Nacional de Slalom 2020, colocando três canoístas no pódio. O título de campeã nacional foi conquistado por Sara Bastos (Associação Desportiva de Amarante), com Mariana Pinheiro (Águas Bravas Clube) a arrecadar a medalha de prata e Patrícia Queirós (Associação Desportiva de Amarante) a garantir o “bronze”.

Disputado num percurso de 150 metros, com corrente, obstáculos naturais e portas de grau 2 e 3, a edição de 2020 do Nacional de Slalom registou, também, os triunfos de José Ferreira Soares (Águas Bravas Clube) na prova de K1 Júnior, que terminou com Eduardo Teixeira (Associação Desportiva de Amarante) e Tiago Carita (Clube Náutico Barquinhense) no 2.º e 3.º lugar do pódio, respetivamente. Em K1 Júnior Feminino, Leonor Carvalho (Aventura Marão Clube) foi a vencedora.

No setor masculino, em K1 Infantil, Pedro Brito Moreira Martins (Darque Kayak Clube) subiu ao lugar mais alto do pódio, deixando Afonso Pinheiro (Aventura Marão Clube) e Gonçalo Passos (Darque Kayak Clube) na 2.ª e 3.ª posição, respetivamente. Na competição de K1 Cadete, o triunfo pertenceu a António Valério (Águas Bravas Clube).

Na prova de K1 Infantil Feminino, Sara Viegas da Silva (Clube Náutico Barquinhense) foi a 1.ª classificada, com Mafalda Rodrigues (Darque Kayak Clube) a garantir a 2.ª posição. Em K1 Cadete Feminino, Maria Seixas Azevedo (Aventura Marão Clube) realizou o melhor tempo da final, superando a oposição de Helena Araújo (Darque Kayak Clube).

Nas canoas, José Carvalho (Associação Desportiva de Amarante) sagrou-se campeão nacional de C1 Sénior, com Antoine Launay (Darque Kayak Clube) a arrecadar o título de vice-campeão. Ivan Silva (Águas Bravas Clube) fechou o pódio. Na prova de C1 Júnior, triunfo para Eduardo Teixeira (Associação Desportiva de Amarante), com Rui Martinho (Clube Náutico Barquinhense) a vencer em C1 Cadete.


Águas Bravas Clube mais forte nos veteranos

No escalão de veteranos, o Águas Bravas Clube também foi mais forte coletivamente, com os mesmos pontos que o Aventura (62 pontos), seguindo-se, na terceira posição, o Darque Kayak Clube (22 pontos).

Em termos individuais, vitórias de Rafael Azevedo (Aventura Marão Clube), em K1 Veterano B, e Mário Silva (Águas Bravas Clube), em K1 Veterano C. Adriano Ribeiro (Aventura Marão Clube) registou os melhores tempos em K1 Veterano A e em C1 Veterano A.

Organizado pela Federação Portuguesa de Canoagem, em parceria com o Aventura Marão Clube, o Campeonato Nacional de Slalom foi, em 2020, a última prova do calendário competitivo da Federação Portuguesa de Canoagem, marcado por profundas alterações causadas pela pandemia de Covid-19. Este ano, o Nacional foi apenas aberto a embarcações monolugares.

Em virtude da crise pandémica que o país atravessa, a Federação Portuguesa de Canoagem voltou a colocar em prática, a exemplo de campeonatos anteriormente realizados em 2020 em território nacional, um apertado plano de procedimentos de proteção de todos os agentes envolvidos no Campeonato Nacional de Slalom, com o objetivo de diminuir ao máximo as possibilidades de risco de contágio e a obedecer às normas impostas pela Direção-Geral da Saúde.