Em Tóquio, o canoísta da Seleção Nacional fechou a qualificação no 12.º lugar, com o 10.º melhor tempo na primeira manga e o 11.º registo na segunda

O K1 de Antoine Launay já está na semifinal da prova de slalom dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. O canoísta de 28 anos fechou a qualificação no 12.º lugar entre 24 competidores, depois de ter obtido o 10.º melhor tempo (95,68 segundos) na primeira manga e o 11.º registo (93,50 segundos) na segunda manga. O canoísta da Seleção Nacional assegurou, desta forma, um lugar entre os 20 semifinalistas.

“Estou no meu melhor nível. Já estou muito focado na semifinal, para tentar entrar no ‘top 10’ e, depois, tudo é possível. Para ser bem-sucedido em ambas, não posso ter penalizações. Um percurso limpo, sem toques, e cada vez a arriscar mais”, disse Antoine Launay, que garantiu o apuramento para Tóquio 2020, após o 7.º lugar no Campeonato do Mundo de Slalom realizado, em 2019, em La Seu d’Urgell (Espanha).

Nascido em Toulose (França), o português, filho de mãe madeirense e de pai francês, vai ter de enfrentar um percurso diferente na próxima fase da prova, “com a certeza de que será, sempre, muito, muito difícil, tanto técnica como fisicamente”. “Os Jogos Olímpicos são mesmo de outro nível. Aqui as ondas são maiores e precisamos realmente de muita força para controlar o barco. Energia extra, que foi o que trouxe para cá”, afirmou, no Japão, o canoísta luso.

“Estou aqui para fazer um pódio. Sei a responsabilidade que coloco em mim, mas é o meu sonho de criança. Vou fazer tudo para isso. Desde 2014 que trabalho para isso, com a ajuda da Federação Portuguesa de Canoagem. Falta uma manga para atingir a final e aí é arriscar”, disse o atleta, antes de sublinhar que está a “adorar” a estreia olímpica e agradecer “o esforço e empenho do Japão” na realização dos Jogos Olímpicos.

Na sexta-feira (30 de julho), às 14h00 (06h00 em Lisboa), no Kasai Canoe Slalom Centre, localizado junto à Baía de Tóquio, Antoine Launay será um dos 20 canoístas que terão apenas uma manga para provar que é um dos 10 que merecem lutar pelas medalhas, cuja discussão está prevista para duas horas depois.